Temos de partilhar o sentimento de uma Mãe muito feliz com os progressos escolares da sua filha a Matemática mas, principalmente, com a alegria que voltou a ver no seu rosto. E, por isso, um dia pediu-nos: “Porque não escrevem sobre a alegria de pensar que conseguiram devolver à minha filha?” Aceitámos o desafio!

Woman and her daughter take swing for relaxing. She hold her daughter's hand to keep warm touch. they spent the rime in the garden of villa.

Uma missão bem definida

Diríamos que tudo começa quando temos bem definida a nossa missão – “inspirar o futuro a aprender”. Parece simples mas na realidade é uma missão muito exigente porque requer, em primeiro lugar, acreditar no potencial de cada criança e jovem e, em segundo, estar disponível para encontrar caminhos alternativos e utilizar estratégias diferentes.

Mas igualmente importante é saber por onde começar, que não é necessariamente no ponto onde os estudantes possam estar na escola. Todos sabemos que o mais importante a Matemática são as bases. Neste sentido, não podemos abdicar de dar, ou fortalecer, esses pilares fundamentais aos estudantes quando diagnosticamos fraquezas. O caminho do sucesso tem de ser construído a partir das fraquezas porque, na Educação, não há atalhos. É preciso enfrentar os desafios e ultrapassá-los.

Pequenas experiências de sucesso

No fundo o que procuramos é dar a oportunidade aos estudantes de terem pequenas experiências de sucesso. Mas não nos entendam mal – somos exigentes, mas justos. Porque a Educação é demasiado valiosa para ser um passatempo.

Afinal, queremos ajudar a formar pessoas que pensam e não que simplesmente dizem aquilo que lhes dizem para ser dito porque… “a alegria que se tem em pensar e aprender faz-nos pensar e aprender ainda mais” (Aristóteles).